A mente e a cartola mágica

Ontem, na reunião semanal do nosso grupo de meditação (www.zen.org.br), eu falei um pouco sobre como a mente tem o poder de criar as situações e as circunstâncias em que nos encontramos. Digamos assim, é como se nossa atividade mental tivesse a capacidade de moldar o mundo que nos cerca – e realmente podemos fazer isso. Eu li a seguinte passagem para o grupo:

“A ilusão e a iluminação originam-se na mente, e tudo é criado pelas diferentes funções da mente, assim como variadas coisas aparecem da manga de um mágico. As atividades da mente não tem limite elas criam as circunstancias da vida. Uma mente corrompida cerca-se de pensamentos impuros e uma mente pura, pelo contrário, cerca-se de coisas puras.”

A mente é uma cartola mágica. E dela podem sair coisas bonitas e coisas feias, depende do mágico e do momento em que a mágica é feita. Podemos encantar ou decepcionar as pessoas que nos cercam e a nós mesmos. Ou seja, nós temos um poder muito especial, uma capacidade muito interessante e que parece que foi dada apenas ao ser humano: a capacidade de criar. Constantemente estamos em processo de criação. Podemos criar iluminação ou ilusão (sofrimento), basicamente falando. Veja as coisas bonitas que o homem criou, tantas artes, ciência, música e uma infinidade de coisas das quais podemos nos orgulhar. Aviões cortam o ar, dominamos o mundo atômico, telescópios sondam o Universo, e já chegamos até a Lua. Coisas feias já foram também criadas, as guerras, as injustiças sociais, a destruição do planeta… Sim, somos seres criativos. Veja sua vida. Veja tudo aquilo que você construiu, os sonhos que foram transformados em realidade, os que ainda serão e os que poderiam ter sido realizados. Tudo, na verdade, é uma consequência natural de como usamos nossa cartola mágica.

No meio da estrada havia um pedaço de madeira, um toco. Um homem vem caminhando desatento, passa e tropeça no toco. Cospe em cima dele e resmunga algo. Vai embora com o pé doendo, praguejando sobre o toco maldito. Um segundo homem vem atrás, vê o toco e pensa em leva-lo para queimar em casa, já que pode fazer frio. Mas como está longe de casa, desiste da idéia. Vai embora com a dúvida se vai sentir frio ou não, frustrado, se poupando do trabalho de carregá-lo. Então vem caminhando um escultor. Ele pára, olha para o toco, e fica assim alguns instantes. Dá um assobio. Tira o martelo e a talhadeira da mochila, senta no chão e começa a esculpir o toco. Duas horas depois está pronta uma bela imagem, para a qual ele constrói um pequeno altar de pedras e a deixa ali mesmo, na beira da estrada. Vai embora de mãos vazias, pensando: “A imagem já estava ali, apenas retirei os excessos de madeira“.

Claro, nem todos são escultores, músicos ou cientistas. Mas ainda sim podemos criar. E podemos criar constantemente uma coisa muito importante no mundo: bons relacionamentos. Acredito que a chave da nossa jornada esteja aí; nascemos diretamente da relação entre nossos pais e dentro de uma família, ninguém nasce sozinho, por si, e nascemos com a necessidade de nos relacionar até mesmo para nos mantermos vivos. Estamos destinados às relações até a morte. Ok, você pode cuspir nelas, praguejar e culpar alguém por ter tropeçado enquanto caminhava desatento; pode até mesmo usar seus relacionamentos para obter algum benefício próprio, tentando se manter quentinho. Mas realmente só resolvemos a questão e fazemos a diferença quando decidimos esculpir, arredondar arestas, retirar excessos dos relacionamentos. Transformar um toco em escultura. Aliás, tá cheio de gente com o pé doendo e sentindo frio por aí e, sinceramente, não acredito que o mundo vai parar de girar por causa disto.

Nós podemos deixar alguma coisa bacana na estrada. Isso está ao nosso alcance, não é necessário ser um gênio criativo para fazer isso. A cartola mágica é sua, use-a. Apenas lembrando que não se colhe morangos plantando batatas. E que a grande questão é: como iremos gastar nosso tempo de vida, praguejando ou esculpindo?

Quer me mandar sua resposta? Envie para contribuicao@aluzdodia.com

Votos de luz

Gustavo Mokusen

Anúncios

Uma opinião sobre “A mente e a cartola mágica”

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s