Sem pavor, sem amarras

 O medo pode ser considerado como o pai das emoções negativas. É a porta através da qual entra a insegurança, e com ela a fraqueza, que depois convida o sentimento de inferioridade e finalmente acabam se instalando a tristeza e depressão. É por medo que nos fechamos, medo de perder alguma coisa ou de expor fraquezas. Movidos pelo medo podemos ser agressivos, numa reação de ataque defensivo. Ou ainda podemos nos subestimar e perder toda nossa energia criativa se o medo aparece na mente. No final, se deixamos o medo nos controlar acabamos no chão.

O medo cria obstáculos e problemas que não existem na realidade, como ilusões nascem da manga de um mágico. Porém, essas ilusões têm o poder de parecerem verdadeiras aos olhos contaminados pelo medo: são as chamadas delusões. O princípio do medo é a falta de entendimento, é a ignorância no sentido de obscuridade. É natural termos medo do desconhecido; tememos aquilo que não está localizado dentro da nossa área de conforto, da nossa área de controle. Porém, é também natural que evoluamos; somos destinados ao crescimento. Por mais quentinho e confortável que seja a barriga da mamãe, o bebê tem que nascer sob o risco de perder a vida se continuar lá dentro.

Tem um ditado que gosto muito: “E não sabendo que era impossível, então ele foi até lá e o fez”. Isso significa que nossos limites de realização estão muito relacionados aos nossos limites mentais. E nossos limites mentais são consequência direta de como lidamos com o medo.

Gostaria de compartilhar um vídeo incrível com vocês. Trata-se de Alex Honnold, um jovem americano que escala na técnica do free solo. Nessa técnica, não há cordas de segurança ou qualquer outro aparato que o impeça de cair. Esse garoto vem quebrando recordes mundiais desse estilo. É claro que existe uma diferença entre medo e prudência, e já discutimos isso aqui. Não quero dizer que devamos fazer coisas sem segurança, pelo contrário, um bom plano de segurança é necessário em qualquer situação. Alex é uma raridade fora do comum, e é lógico que uma pessoa sem seu dom ou treinamento não faria o que ele faz. Mas o ponto que me chamou a atenção é como Alex lida com o medo em sua mente; ele não o deixa crescer e se transformar em pavor e descontrole. Vejam só:

Essa é uma parte de um documentário sobre Alex feito pela The North Face, seu patrocinador. Infelizmente, não está traduzido em legendas para o português, mas Alex inicialmente fala no vídeo sobre a técnica que usa para escalar colocando apenas os dedos nas agarras e fendas. Então alguém diz como ele é hábil para simplesmente ignorar o abismo abaixo dele e prosseguir totalmente focalizado em seus movimentos. E Alex coloca que o segredo é pensar no que ele precisa fazer, no que é necessário fazer, ou seja, pegar a próxima agarra, e afirma que tudo está sob seu controle, dá um sorriso e diz que “…é tão legal… essa magnífica visão… e a certeza que não vou cair, essa absoluta certeza me ajuda a não cair”.

Penso que essa capacidade de olhar para o que deve ser feito e não para o abismo, essa determinação focalizada e a confiança no sucesso do próximo lance é o que mantém Alex vivo. Ele não pode errar, e ele sabe disso. Alex é humano e sente medo como todo mundo. Porém, ele não deixa o medo virar pavor. Alex denomina isso de “armadura mental” contra o medo em sua mente. Ele se protege mentalmente, lance a lance.

Não creio que devamos arriscar nossas vidas. Mas realmente acredito que podemos exercitar a armadura mental de Alex para ampliar nossos limites pessoais.

Com votos de luz,

Gustavo Mokusen.

Anúncios

3 comentários em “Sem pavor, sem amarras”

  1. “Olhar para o que deve ser feito e não para o abismo” é simplesmente perfeito. As vezes focamos mais nos problemas do que em suas soluções.

    Curtir

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s